Bem vindo

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
Visitantes: 1249924
 
 


 

Fauna e Flora Terrestre


A Região Autónoma da Madeira alberga uma biodiversidade que, devido à sua peculiaridade, especificidade e raridade, é reconhecida internacionalmente, de que são exemplos a Floresta Laurissilva, Património Mundial Natural sob a égide da UNESCO, a Reserva Natural das Ilhas Desertas, detentora da Classificação de Reserva Biogenética do Conselho da Europa e a Reserva Natural das Ilhas Selvagens, detentora do Diploma Europeu.

A necessidade de preservar o Património Natural levou à criação de diversas áreas protegidas, compreendendo 73% do território e 19.350 hectares no mar. Para além destas áreas protegidas, a existência de 11 Sítios da Rede Natura 2000 e o desenvolvimento de projectos de conservação da Natureza, alguns deles co-financiados por fundos internacionais, são testemunhos do empenho na salvaguarda do Património Natural existente na Madeira.

Fauna Terrestre

A Madeira é detentora de uma biodiversidade excepcional no contexto da Região Mediterrânica e da Europa, a qual é reconhecida Mundialmente. As espécies endémicas e os ecossistemas naturais são riquezas e testemunhos das nossas origens, que devem ser sabiamente geridos, de modo a fazerem parte do Futuro e continuarem a ser o orgulho desta Região.

A fauna do Arquipélago da Madeira caracteriza-se por uma riqueza em espécies indígenas terrestres e marinhas.

Na fauna assumem particular relevo os invertebrados e as aves, que contemplam um grande número de endemismos madeirenses e macaronésicos. Da avifauna realçam o pombo-trocaz, o tentilhão, o bis-bis, a freira-da-Madeira e a freira-do-Bugio. No grupo dos répteis é de destacar a lagartixa e a osga e nos mamíferos o lobo-marinho e os morcegos.

Entre os vertebrados, apesar das pequenas lagartixas, das aves e dos peixes terem uma presença bem marcante, os mamíferos existentes no arquipélago, à excepção do morcego e do tão raro, lobo-marinho, foram introduzidos pela acção do homem.

Quanto aos invertebrados, o arquipélago encontra-se bem representado pelas muitas espécies de insectos e aracnídeos, assumindo particular relevo a presença de tão grande número de espécies endémicas pertencentes ao grupo dos moluscos. A variedade de insectos é elevada em todas as ilhas do Arquipélago.


 
Regulus ignicapillus madeirensis Harcourt – Bis-bis

Subespécie endémica, habitante das zonas altas do interior da Ilha da Madeira (acima dos 600m de altitude). Alimenta-se de insectos.
Este pássaro, o mais pequeno da Madeira, deve o seu nome indígena ao seu cantarolar – bis … bis


 
Fringilla coelebs maderensis Sharp – Tentilhão

Esta subespécie endémica, uma das aves mais numerosas da Madeira, vive nas regiões arborizadas desta Ilha, podendo, durante o Inverno, descer até ao litoral.
Este pássaro, o mais pequeno da Madeira, deve o seu nome indígena ao seu cantarolar – bis … bis


 
Fringilla coelebs maderensis Sharp – Tentilhão

Esta subespécie endémica, uma das aves mais numerosas da Madeira, vive nas regiões arborizadas desta Ilha, podendo, durante o Inverno, descer até ao litoral.
Este pássaro, o mais pequeno da Madeira, deve o seu nome indígena ao seu cantarolar – bis … bis


 
Columba trocaz Heineken – Pombo-trocaz

Espécie endémica da Madeira, que habita as regiões montanhosas desta Ilha, em íntima ligação com a floresta Laurissilva.
Alimenta-se de frutos silvestres (como a baga do loureiro), algumas sementes e rebentos tenros.


 
Falco tinnunculus canariensis Koening – Francelho

Ave de rapina diurna, idêntica à das Canárias, que nidifica nas fendas das rochas escarpadas, quer da Ilha da Madeira, quer do Porto Santo.
Alimenta-se de murganhos, lagartixas e pequenas aves.


 
Pelagodroma marina hypoleuca Webb, Berthelot & Mouquin–Tandon – Calcamar

Ave marinha, com facilidade em «correr» sobre as águas do mar, nidifica nas Ilhas Selvagens.
Alimenta-se de peixes.


 
Buteo buteo harterti Swan – Manta

Subespécie endémica do arquipélago da Madeira. Ave de rapina diurna, habitante das regiões arborizadas da Madeira.
Alimenta-se de outras aves, ratos e gafanhotos.
É a maior ave da fauna madeirense.


 
Calonectris diomedea borealis Cory – Cagarra

Ave marinha pelágica, que depende quase exclusivamente do mar, usa as ilhas do arquipélago da Madeira, com maior incidência a Reserva Natural das Ilhas Selvagens, para construir os seus ninhos.
Nas Ilhas Selvagens, esta ave constitui uma das mais importantes colónias do Atlântico. Alimenta-se de peixes e moluscos.


 
Pterodroma madeira Mathews – Freira-da-Madeira

Ave marinha pelágica, endémica da Madeira, bastante rara, que procria nas escarpas da cordilheira central da Ilha da Madeira, acima dos 1600 metros de altitude, entre o Pico do Arieiro e o Pico das Torres.




 
Pterodroma feae Mathews – Freira-do-Bugio

Ave marinha pelágica, endémica da Macaronésia, que no arquipélago da Madeira procria no Bugio, nas Ilhas Desertas.




 
Bulweria bulwerii Jardine & Selby – Alma-negra

Ave marinha, que no arquipélago da Madeira ocorre em todas as ilhas. Na Deserta Grande existe a maior colónia do Atlântico e provavelmente do Mundo.




 
Tarentola boettgeri bischoffi – Osga

Osga endémica das Ilhas Selvagens.





 
Lycosa ingens – Tarântula das Ilhas Desertas

Aranha endémica das Ilhas Desertas, apenas existindo na Deserta Grande, numa área restrita.
Ao contrário da maioria das aranhas, não constrói teia devido ao seu peso e tamanho.


 

FOTOGRAFIAS E TEXTO CEDIDOS PELO PARQUE NATURAL DA MADEIRA

Para mais informação fazer link à pagina do PNM –

 



 
Colabore com o Ama-lingua:  Email
 

St Michaels Federal | Abel´s Family Cleaning | Gilberts Jewelers | Larnet | Eduardo Costa | Júlio Silva Castro |